Florbela Espanca: Antologia poética

Florbela d’Alma da Conceição Espanca (8/12/1894 – 7/12/1930), poetisa portuguesa, natural de Vila Viçosa (Alentejo). Nasceu filha de um amor ilegítimo entre o pequeno burguês João Maria Espanca e a empregada doméstica Antónia da Conceição Lobo. Mesmo que registrada como “filha de pai incógnito”, Florbela foi educada pelo pai e pela madrasta.

Estudou no liceu de Évora e, foi uma das primeiras mulheres em Portugal a frequentar o curso secundário. Em outubro de 1917 matriculou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Na capital, teve contato com outros poetas da época e com mulheres escritoras que procuravam conquistar seu lugar no meio literário. Colaborou com jornais e revistas, como o Portugal Feminino. Em 1919 publicou a sua primeira obra poética, Livro de Mágoas.

Em 1921, Florbela se divorciou de Alberto Moutinho, com quem era casada desde 1913, e casou-se com o oficial de artilharia António Guimarães. Em 1923, publicou o Livro de Sóror Saudade. Em 1925, Florbela casou-se, pela terceira vez, com o médico Mário Laje.
A obra de Florbela é um reflexo de sua vida. Todas as dores de seus casamentos fracassados, de suas desilusões amorosas e até mesmo da morte de seu irmão, Apeles Espanca, estão incorporadas em suas poesias que são caracterizadas pela recorrência de temas como sofrimento, solidão e desencanto. Mas, apesar desses sentimentos negativos, é possível perceber que sua obra se alia a uma imensa ternura e a um desejo de felicidade que só poderá ser alcançado no infinito.

Florbela faleceu em dezembro de 1930, em Matosinhos, a causa da morte foi a sobredose de barbitúricos.
Poetisa de sentimentos profundos, cultivou a paixão, com voz marcadamente feminina. É vista como a grande figura feminina das primeiras décadas da literatura portuguesa do século XX.

“Dou-te, comigo, o mundo que Deus fez!
— Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A princesa do conto: ‘Era uma vez…’

(“Conto de fadas”, Charneca em Flor)

FLorbela2
Com o prefácio de Renata Soares Junqueira, professora de Literatura Portuguesa na Unesp com Pós-Doutorado pelas Universidades de Lisboa e Universidade Nova de Lisboa, esta edição traz a obra completa de Florbela Espanca, incluindo Livro de Mágoas (1919), Livro de Sóror Saudade (1923), Charneca em Flor (1931), Reliquiae (sonetos inéditos acrescentados na segunda edição de Charneca em Flor), Trocando olhares (1915–1917) e O livro d’Ele (1915–1917). Fãs de poesia e literatura portuguesa podem desfrutar de poesias belíssimas reunidas em uma excelente edição.

Florbela3
Este livro…

Este livro é de mágoas. Desgraçados
Que no mundo passais, chorai ao lê-lo!
Somente a vossa dor de Torturados
Pode, talvez, senti-lo… e compreendê-lo.

Este livro é para vós. Abençoados
Os que o sentirem, sem ser bom nem belo!
Bíblia de tristes… Ó Desventurados,
Que a vossa imensa dor se acalme ao vê-lo!

Livro de Mágoas… Dores… Ansiedades!
Livro de Sombras… Névoas e Saudades!
Vai pelo mundo… (Trouxe-o no meu seio…)

Irmãos na Dor, os olhos rasos de água,
Chorai comigo a minha imensa mágoa,
Lendo o meu livro só de mágoas cheio!…

(11) 3672 8144 – Grande São Paulo
0800-558144 – Demais localidades
Rua Alegrete, 62 - Sumaré
São Paulo/SP, 01254-010