O Natal já chegou aqui na Martin Claret!

Para comemorar a chegada do Natal, resolvemos fazer um post sobre o escritor que mais representou essa época festiva. Charles Dickens foi um importante escritor inglês do século XIX, sendo conhecido como um dos principais romancistas da Era Vitoriana e o percursor do Realismo inglês. Escreveu romances, contos, peças e artigos jornalísticos, e até teve contato com escritores e escritoras de sua época, como Elizabeth Gaskell, com quem manteve uma forte amizade.

Suas obras são famosas por expor os principais problemas sociais da Inglaterra vitoriana, como a violência, a pobreza, o desemprego, e as péssimas condições de trabalho nas fábricas. Oliver Twist, por exemplo, retrata a vida e aventuras de um jovem órfão, tendo como pano de fundo a delinquência causada pelas condições precárias pela qual a sociedade inglesa da época passava. Ou Um conto de duas cidades, um romance de Dickens repleto de aventuras e tragédias que explora o momento histórico da Revolução Francesa e a histeria coletiva causada por esse acontecimento.

Porém, a obra mais famosa do autor com toda a certeza é Um cântico de Natal e outras histórias. A obra possui inúmeros contos sobre a época natalina: “A história dos duendes que raptaram um coveiro”; “O homem possesso e o pacto com o fantasma”; “Uma árvore de natal”, entre outras. Mas a obra mais conhecida é a “Um cântico de natal em prosa que é uma história natalina de fantasmas”, popularmente conhecida como “Um cântico de Natal”. Esse conto narra a história do velho Scrooge, homem de negócios sovina e ranzinza, que não vê a mínima graça na noite de Natal, porém, algumas surpresas aguardam o velho rabugento: ele recebe a visita fantasmagórica de seu antigo sócio, Marley, que se mostra arrependido de, como  Scrooge, ter passado a vida atrás do dinheiro. Ele leva Scrooge para uma viagem inesquecível e transformadora em busca de tentar salvá-lo enquanto ainda é tempo.

Várias obras, sejam literárias ou cinematográficas, se inspiraram nessa história de Dickens. Em 1983 a Disney fez sua versão do velho razinza no O Natal do Mickey Mouse; coube ao Tio Patinhas, cuja criação já é baseada no sovina Scrooge, representa-lo. Em 1999, foi produzido para TV um filme sobre Um cântico de Natal. Coube ao ator Patrick Stewart o papel de Ebenezer Scrooge. Nesse filme a personificação de Scrooge era um pouco mais jovem.

Uma animação produzida por Robert Zemeckis chamada de Os Fantasmas de Scrooge foi lançada em 2009. Jim Carrey deu vida a Scrooge e aos três fantasmas da história, o do passado, presente e futuro. A tecnologia utilizada para a digitalização e a atuação de Carrey traz uma certa magia à história, por se tratar de uma animação, muitos elementos lúdicos puderam entrar em cena.

Há também duas releituras da obra que valem a menção. A primeira é o Expresso Polar. Também produzida por Zemeckis, ela foge um pouco do conto original, e mesmo tendo sido baseada na obra de Chris Van Allsburg, no personagem principal, um menino representa a figura infantilizada de Scrooge, ele não acredita no Natal e não entende por que as pessoas acham uma época tão importante. A segunda é o filme Minhas Adoráveis Ex-Namoradas que, a principio, pelo título, parece não ter relação com a obra de Dickens, mas é possível encontrar os elementos do famoso conto. Connor, interpretado por Matthew McConaughey não acredita no amor e então é visitado por três fantasmas de suas ex-namoradas. Como no conto de Dickens, Connor percebe, ao longo dessas viagens, que precisa repensar seu estilo de vida.

Vale a pena ler esse grande clássico da literatura. Dickens escreve de uma forma tão mágica quanto o próprio Natal em si.

Link para compra: Martins Fontes

Um Cântico de Natal
Autor:  Charles Dickens
ISBN: 978-854-4001-066
Tradutor: Roberto Leal Ferreira
Paginas: 330
Formato: 23 x 16

Processed with VSCOcam with q8 preset

(11) 3672 8144 – Grande São Paulo
0800-558144 – Demais localidades
Rua Alegrete, 62 - Sumaré
São Paulo/SP, 01254-010